terça-feira, 21 de junho de 2016

Assinala-se o X ano da morte (2006) do escritor Henrique Teixeira de Sousa. Em jeito de homenagem a um grande nome das Letras cabo-verdianas, «Coral Vermelho» junta-se às efemérides evocativas, focando o perfil deste inesquecível contista e romancista que boa obra nos deixou.
 
Resenha bio-bibliográfica
 
1919 – Nasce na Freguesia de São Lourenço, na localidade de S. Domingos, na Ilha do Fogo, Henrique Teixeira de Sousa, filho do capitão de longo curso, João de Sousa, natural da Brava e de Laura Teixeira de Sousa, natural do Fogo.
1926-1930 - Instrução Primária em S. Filipe.
1931 - Preparatório para o Liceu.
1932-1938 - Estudos secundários no então Liceu Infante D. Henrique, na cidade do Mindelo.
1936 – Publicação do Conto «Tchuba é nós Governador» no Jornal Juventude, órgão dos estudantes liceais. No antigo 6º Ano do Liceu de Gil Eanes em Mindelo, S. Vicente.
1938 – Ingresso na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.
1945 – Conclusão do curso de Medicina.
1946 – Cursos do Instituto de Medicina Tropical, de Medicina Sanitária, da Universidade do Porto.
1946 – Ingresso no Quadro de Saúde do Ultramar, tendo sido colocado em Timor, como médico interno no Hospital central e Professor da escola de Enfermagem.
1947 – Publica no n.º 5 da Revista «Claridade» o estudo sobre: Estrutura Social da Ilha do Fogo em 1940.
1948 – Transferido para Cabo Verde e colocado como Delegado de Saúde da Ilha do Fogo, onde construiu e renovou  os actuais Hospital e Maternidade.
1949 – Publica no n.º 8 da Revista «Claridade»: Sobrados, Lojas & Funcos.
1950 – Inicia uma colaboração duradoira no Boletim “Cabo Verde” que só termina no último ano de publicação da revista, em 1964.
1955-56 – Frequenta em Marselha, França o II Curso para Formação de Médicos Nutricionistas para a África ao sul do Sahara.
1957 – Nomeado médico-adjunto da Missão Permanente de Estudo e Combate de Endemias de Cabo Verde e Presidente da Comissão de Nutrição de Cabo Verde. Torna-se membro titular da Societé Scientifique d´higiene alimentaire de Paris. Chefia a Delegação Portuguesa à III Sessão da Conferência Inter-Africana de Nutrição reunida em Luanda. Ainda no mesmo ano é colocado no Hospital de S. Vicente.
 
1958 – Participa na cidade do Mindelo no Colóquio sobre o Homem cabo-verdiano, sob  coordenação do Professor Almerindo Lessa. Igualmente participa no Congresso de Paludismo e Medicina Tropical em Lisboa, onde apresentou o trabalho: «Cabo Verde e a sua gente». Publicado em separata, pelas Edições Propaganda, Praia, Imprensa Nacional de Cabo Verde, 1958.
 
1959 – Participa em Lwiro (antigo Congo Belga) no Seminário de Nutrição.
 
1960 –Publica o futuro Conto «Raiva» no Boletim «Cabo Verde» nº 124 de Julho, sob epígrafe: Episódios verídicos da minha vida clínica.
 
1961/64 – Presidente da Câmara Municipal de S. Vicente.
 
1965  e seguintes – Médico do Hospital de S. Vicente.
 
1972 – Publica a Colectânea de contos, Contra Mar e Vento.  Editora Europa/América.
 
1972/73 – Deslocações profissionais periódicas à Ilha de S. Nicolau, onde inicia os manuscritos do futuro romance, Ilhéu de Contenda.
1973 – Nomeado Adjunto do Chefe da Repartição de Saúde e Assistência de Barlavento.
1975 – Pertence ao grande número de cabo-verdianos que deixa Cabo Verde por motivos que se prenderam com os tumultuosos e conturbados momentos primeiros, vividos com os anúncios da Independência do Arquipélago. Discorda do projecto de unidade Guiné/Cabo Verde do PAIGC e parte para Portugal onde fixa residência no Concelho de Oeiras e retoma a vida profissional.
1978 – Publica o romance Ilhéu de Contenda, pela Editorial «O Século». Aposenta-se e continua muito ligado à sua terra natal à qual dedica toda a sua produção literária.
1980 – Inicia e mantém por largos anos, uma colaboração de índole cultural, com o mensário «Terra Nova».
1981 e seguintes -  Reconcilia-se, faz as pazes, com o então governo e o regime de Partido único, agora PAICV. A forçada Unidade Guiné/Cabo Verde havia erodido com o Golpe militar na Guiné-Bissau(1980). São-lhe devolvidos os bens  então confiscados e nacionalizados no Fogo e em S. Vicente.
É também altura em que é frequentemente convidado pelo Governo de Cabo Verde, Ministério da Cultura e pela Associação de Escritores Cabo-verdianos. Desloca-se ao país amiudadamente. A última visita a Cabo Verde verificou-se nos finais de 2005). Iniciam-se em Cabo Verde, a partir de então, os prémios literários, as condecorações e as homenagens ao escritor que é Teixeira de Sousa.
1984 – Publica Capitão de Mar e Terra, romance – Publicações Europa – América.
1986 - Recebe o prémio «Claridade» pela sua obra, Ilhéu de Contenda, outorgada pelo Ministério da Cultura e Informação de Cabo Verde.
1987 – Publica Xaguate, romance, Publicações Europa – América.
1988 – Prémio «Jorge Barbosa» da Associação de Escritores Cabo-verdianos para o romance Capitão de Mar e Terra.
1990 – Publica Djunga, romance, Publicações Europa – América.
1992 – Prémio «Fialho de Almeida» da Sociedade Portuguesa de Escritores Médicos, para o romance Djunga.
1994 – Publica Entre Duas Bandeiras, romance, Publicações Europa – América.
1998 – Publica Na Ribeira de Deus, romance.
2005 – Publica Oh Mar de Túrbidas Vagas, romance.
2006 – Faleceu em Portugal, (onde residia desde 1975) a 3 de Março, vítima de atropelamento.
 

 

 

1 comentários:

Adriano Lima disse...

Invejável biografia de uma pessoa que me é muito querida.

Enviar um comentário